As Emoções e a Liderança

Estamos vivendo uma época em que tudo que sabíamos estava esquecido por não ter tanta necessidade. Agora, está vindo à tona e de uma forma nunca experimentada. Por exemplo, sempre soubemos que não temos controle de nada, porém vivíamos com a sensação que poderíamos controlar tudo. Neste momento, sabemos que não. Temos um inimigo que está oculto e pode aparecer em qualquer lugar e a qualquer hora.

Inovação era um tema que as organizações sabiam que era necessário, porém a implantação era algo que demorava. Os próprios diversos setores da companhia a boicotavam. Agora, inovar é preciso e tudo está sendo implantado com a maior urgência, pois se trata de sobrevivência. Quem não se reinventar não conseguirá se manter vivo.

Esta inovação não só se aplica para a empresa quanto para todos os indivíduos. Isto não será diferente para a liderança que também era um tema sempre debatido e amplamente ensinado nos MBAs. No entanto, não praticado integralmente, pois a ausência de uma liderança forte em toda a organização era suprida por uma liderança forte no topo que traçava as estratégias. Assim, bastavam que as ações sugeridas fossem realizadas.

Porém, neste atual momento, de completa incerteza sobre o futuro, logicamente a liderança forte no topo é e será sempre necessária. Mas, nada será realizado se toda as demais lideranças da organização estiverem comprometidas. Devemos lembrar que estamos em guerra, e, nesta batalha, todos são importantes, principalmente os soldados.

Neste ponto, quero ressaltar o papel da liderança que deverá estar mais perto da sua equipe do que nunca. Isto porque, as mudanças serão cada vez mais rápidas e para fazer isto você necessitará da equipe comprometida. Você deverá entender que cada um de seus liderados têm motivadores distintos e que não poderá tratá-los de forma igualitária. Precisará gerar confiança, pois ela gera agilidade e baixos custos. Para se ter confiança há necessidade de transparência.

Como conseguir isso? Primeiramente reconhecendo que você também tem receios, medos, angústias. Trabalhar essa questão num processo de autoconhecimento para que você possa ter mais equilíbrio e conseguir o que será mais importante, que é ter empatia, ou seja, conseguir se colocar no lugar do outro. Quando nos conhecemos é mais fácil conhecer o outro.

Também é importante cuidar do físico com atividades, mesmo que seja dentro de casa. É possível fazer, através de vários vídeos no Youtube que podem ser acessados e ajudando que o estado físico seja um aliado neste período. Da mesma forma o mental pode e deve ser aprimorado, neste período, com as ofertas on-line de cursos e lives.

Por último e não menos importante, o cuidado com o lado espiritual que, ao meu ver, considero o fato de conseguir estar em contato com seu interior. A meditação pode ajudar muito, pois também acalma as emoções.

Se um líder está cuidando do seu lado mental, fisco, emocional e espiritual, conseguirá se equilibrar, controlar suas emoções e, assim, estará mais perto de sua equipe. Como liderança não é somente ser líder de uma equipe, mas também de sua própria vida, então cuidar de todos os nossos lados (mental, físico, emocional e espiritual) será importante para todos nós agora.  Volto ao início deste artigo. Isto sempre foi necessário, mas agora é vital para sobrevivermos.

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter


ver outros artigos

A felicidade em ser você,

A felicidade reside em ser você e não o que outros esperam de você. Não é simples, não é fácil, mas Ser Você é o único caminho para ser feliz.

Ler mais »
Dor como Segregadora Social

Dor como Segregadora Social

O mundo parou, sim, literalmente todos fomos forçados a parar de alguma maneira. Parar de trabalhar porque férias coletivas foram dadas, ou porque perdemos o

Ler mais »

friendsBee, polinizando o bem.

friendsBee, polinizando o bem.