E a tal da felicidade, como fica?

Felicidade e Escolhas

Todo dia estamos ouvindo por aí as pessoas falarem sobre um tema que a maioria tem como meta: SER FELIZ!

Esse nosso dia-a-dia, que cada vez mais passa “voando”, muitas vezes confundindo nossas agendas e não priorizando o que realmente é essencial, nos leva a refletir se a felicidade é um conceito objetivo ou subjetivo.

Será que a minha percepção de felicidade é única, coletiva ou, na verdade, cada um tem a sua?

Ser feliz é estar à frente com essa dúvida que muitas vezes nos leva até a tentar negar nossa existência. De fato, essa tentação é maior pois é mais fácil não aceitá-la do que imaginar sua existência e aceitarmos que não a possuímos.

Ficamos frente a frente com uma questão pouco discutida, e quase nunca refletida, em nosso cotidiano que nos atropela, deixando-a para segundo plano, o das ideias, o do imaginário, quer seja positivo ou negativo, mas de qualquer forma distante…

Quando paramos pra pensar, vemos que encarar a vida não é nada fácil, pois o que mais temos que fazer são escolhas. E cada escolha significa que renunciamos a um outro modo de ser, de fazer outras escolhas.

Estamos nessa corrida desenfreada da nossa existência, condenados a fazer escolhas!

E assim podemos errar ou acertar, perder ou ganhar, tudo dependendo do que viermos a escolher.

Assim, se conciliarmos nossas escolhas com a angústia que sempre nos acompanha, emocionalmente ficamos numa situação muito mais complexa.

Podemos responder o que é a tal felicidade?

Eu me arrisco a dizer que ser feliz não é, necessariamente, estar sempre alegre. O sofrimento e a angústia também fazem parte da vida e da própria felicidade. Se tudo na vida fosse só alegria, as pessoas não dariam real valor à felicidade…

Quantas vezes para sorrirmos é tão importante termos chorado antes? Chorar para saber como é bom sorrir… Quando falamos em saudade, então as coisas se tornam ainda mais complexas. Principalmente nesse momento de pandemia, onde estamos restritos, isolados, nos obrigando a saber o quanto gostamos de alguém…

Nessas condições muitas vezes até temos tudo, mas perdemos a sensação de valor e pode parecer que não temos nada.

Nossa vida é um constante movimento e, por isso, vamos viver o momento, não deixando o passado de lado e projetando nosso futuro.

Infelizmente não poderemos escapar dos momentos difíceis que fazem parte da nossa vida e que não conseguiremos evitar, porém são momentos necessários para aprendermos, para que possamos escapar de coisas similares no futuro.

Usando o ponto de vista do filósofo Karl Jaspers percebemos que ele ressalta: “Os problemas e conflitos podem ser a fonte de uma derrota, uma limitação para a nossa potencialidade, mas também podem dar lugar a uma maior compreensão da vida e o nascimento de uma unidade que se fortalece com o tempo.”

Assim, com essas visões a estes pontos de vista, podemos concluir que a felicidade não pode ser compreendida como uma coisa ditada, por uma essência pré-definida existente no homem, ou como um sentimento.

Assim podemos nos fortalecer e até sugerir entender a felicidade como o nosso dia-a-dia, como a nossa própria vida sendo vivida de maneira intensa e com responsabilidade nas próprias escolhas que fazemos, seja nas alegrias ou nos sofrimentos, buscando sempre um aprendizado.

Quando vamos para o Universo Corporativo percebemos que também se aplicam as observações e comentários, pois não somos divisíveis e nosso interior nos acompanha. Nesse caso as escolhas muitas vezes são muito difíceis, mas fazem parte da nossa jornada, aprendendo todo dia, sendo forte o bastante para entender quão complexo é ser feliz e que nem sempre só coisas boas são necessárias para o caminho rumo à felicidade.

*******************************************

Edmundo é Conselheiro certificado pelo IBGC e vem se dedicando ao desenvolvimento de Novos Negócios. Também atua como Diretor Institucional da EqualWeb Brasil, uma plataforma Israelense para Acessibilidade Digital à pessoas com problemas visuais e de mobilidade.

*Texto baseado nas reflexões de Mary Alvarenga  http://www.filosofia.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=1292

>>> Artigos sobre o tema Felicidade: A felicidade em ser você

Photo by Jacqueline Munguia ✨

Compartilhe



outros artigos recentes

O Homem Contemporâneo

O papel do homem na sociedade contemporânea

Cada experiência, cada pessoa com quem convivemos, cada história que ouvimos nos oferece uma janela para realidades fora de nossa bolha. Como homens, podemos iniciar essa transformação refletindo sobre nossos preconceitos e comportamentos, reconhecendo que fazemos parte de uma sociedade que perpetua certas injustiças.

Ler mais »
Zona de Conforto

Na Zona de Conforto para a Felicidade

“zona de conforto” é um lugar seguro, um refúgio, sensação de um abraço de mãe, um lugar de acolhimento, definitivamente um bom lugar para se estar, mas parece que não podemos. Será mesmo?

Ler mais »
Diversidade, Equidade, Inclusão

Diversidade, Equidade, Inclusão e os impactos na Saúde Mental

Diversidade não é fim, mas meio. Para que seja positiva para as pessoas e para as empresas, é preciso que as diferenças sejam respeitadas e consideradas. Sentir-se incluído é o combustível interior do engajamento. Ganham as pessoas, ganha a empresa, ganha a sociedade. Como fazer isso, é o que aborda este artigo.

Ler mais »

friendsBee, polinizando o bem.

friendsBee, polinizando o bem.